Anais do Instituto de Higiene e Medicina Tropical https://anaisihmt.com/index.php/ihmt Os Anais do Instituto de Higiene e Medicina Tropical publicam artigos originais nos domínios da medicina tropical, saúde pública e internacional, ciências biomédicas e afins pt-PT anais@ihmt.unl.pt (Contacto Principal) anais@ihmt.unl.pt (Apoio) dom, 04 abr 2021 02:50:06 -0700 OJS 3.1.1.4 http://blogs.law.harvard.edu/tech/rss 60 Saúde digital e desenvolvimento internacional https://anaisihmt.com/index.php/ihmt/article/view/367 <p>.</p> Zulmira M. A. Hartz, Paula Fortunato, Philip J. Havik ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://anaisihmt.com/index.php/ihmt/article/view/367 qua, 31 mar 2021 00:00:00 -0700 A experiência de 10 anos do programa ePORTUGUÊSe da OMS https://anaisihmt.com/index.php/ihmt/article/view/368 <p>&nbsp;</p> <p><span class="Apple-converted-space">&nbsp;</span><strong>Introdução</strong>: A rede ePORTUGUÊSe da OMS foi criada em 2005 para apoiar a colaboração e a troca de informações em saúde entre os países de língua portuguesa (PALOP), com potencial para fortalecer os sistemas nacionais de saúde, capacitar os recursos humanos e contribuir para atingir os Objetivos do Desenvolvimento do Milénio.<span class="Apple-converted-space">&nbsp;</span></p> <p><strong>Objetivo</strong>: Avaliar a implementação da rede no contexto da cooperação Sul-Sul em saúde, no período de 2005 a 2015.<span class="Apple-converted-space">&nbsp;</span></p> <p><strong>Método</strong>: Análise qualitativa da documentação técnica, científica e administrativa sobre a rede ePORTUGUÊSe nos repositórios públicos nas diversas instituições. Revisão bibliográfica e entrevistas semiestruturadas.<span class="Apple-converted-space">&nbsp;</span></p> <p><strong>Resultados: </strong>A rede ePORTUGUÊSe ofereceu oportunidades de cooperação entre instituições e profissionais de saúde nos diversos países e ajudou a melhorar o acesso e a troca da informação. Exemplo de cooperação Sul-Sul em saúde entre os países de língua portuguesa teve pouco comprometimento dos responsáveis e escassez de recursos financeiros para a realização de atividades, afetando negativamente o programa.<span class="Apple-converted-space">&nbsp;</span></p> <p><strong>Considerações finais</strong>: O programa foi relevante para diminuir o isolamento profissional, aumentar o acesso e partilha da informação em saúde em português, mesmo que em graus diferentes nos diversos países. A baixa disseminação dificultou o desenvolvimento de estratégias e apropriação da rede ePORTUGUÊSe pelos países envolvidos.<span class="Apple-converted-space">&nbsp;</span></p> Regina Ungerer ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://anaisihmt.com/index.php/ihmt/article/view/368 qua, 31 mar 2021 00:00:00 -0700 Critérios de qualidade nas consultas pré-viagem: um consenso Delphi https://anaisihmt.com/index.php/ihmt/article/view/369 <p>Com o crescimento exponencial de viagens ao nível global durante as últimas décadas, a saúde do viajante tornou-se uma questão premente. O turismo internacional, as deslocações profissionais e os fluxos migratórios contribuíram para este fenómeno, que centrou as atenções de organizações internacionais e autoridades nacionais nos riscos associados à propagação de doenças infeciosas. As preocupações crescentes acerca da transmissão de doenças emergentes e reemergentes, conferiu uma visibilidade global à medicina do viajante e impõem a definição de padrões de qualidade na atenção à saúde deste grupo de indivíduos O presente estudo visou obter um consenso alargado sobre os critérios de avaliação de qualidade para o aconselhamento de pré-viagem entre médicos em Portugal e Brasil baseado no método Delphi, utilizando critérios internacionais e estudos científicos como referência. Integrando os critérios consensuais obtidos no estudo, o nosso modelo identifica diferenças nos critérios de qualidade entre os dois grupos de peritos. Contudo, estes destacaram a importância dada a recursos humanos qualificados, a qualidade de informação para viajantes e profissionais de saúde, procedimentos estandardizados e ao diagnóstico em tempo útil. Os casos de Portugal e Brasil demonstram a importância de realizar mais estudos sobre a qualidade de consultas pré- e pós-viagem ao nível nacional e transnacional.<span class="Apple-converted-space">&nbsp;</span></p> Mayumi Duarte Wakimoto, Philip J. Havik, Zulmira M. A. Hartz, Rosa Teodósio ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://anaisihmt.com/index.php/ihmt/article/view/369 qua, 31 mar 2021 00:00:00 -0700 “Plataforma de saberes”: um relato de caso para repensar a produção de conhecimento, empoderamento comunitário e vulnerabilidade estrutural em iniciativas de promoção de saúde e educação https://anaisihmt.com/index.php/ihmt/article/view/370 <p>Este artigo descreve o desenvolvimento, a implementação e a avaliação de um curso internacional dedicado ao envolvimento da comunidade científica com a sociedade na produção de conhecimentos relacionados com os processos de determinação social da saúde/promoção da saúde. O curso internacional foi realizado no âmbito do projeto de pesquisa “Plataforma de Saberes” sediado na Fundação Oswaldo Cruz, em parceria com a Universidade de Coimbra e com a participação de membros de grupos comunitários, sociedade civil, diversos pesquisadores e atores académicos, incluindo estudantes de pós-graduação. Inspirando-nos no trabalho de Paulo Freire sobre o empoderamento e recorrendo a metodologias participativas tradicionais discutimos estratégias promotoras de maior envolvimento da comunidade em ações de promoção da saúde, problematizando o seu papel na produção colaborativa de conhecimento e na pesquisa clínica em doenças infecciosas. O curso reforçou formas de sociabilidade coletiva e fortaleceu a partilha de conhecimentos e experiências por parte dos participantes da comunidade, contribuindo para a sua ação como promotores da saúde comunitária. Esta experiência expôs a necessidade desses tipos de encontros e interações e da importância de iniciativas dedicadas ao empoderamento individual e coletivo, à equidade e à solidariedade, e a participação ativa na produção de conhecimento relevante para a resolução dos problemas que afetam a saúde e o bem-estar através de um maior envolvimento da comunidade na educação em ciências da saúde.<span class="Apple-converted-space">&nbsp;</span></p> Claudia de Souza, Patrícia Ferreira, Clarice de Santana, Ana Guimarães, Aline Bistene, Maria de Lourdes Teixeira, Maria Isabel Gouvea, Jacob Milnor, João Arriscado Nunes ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://anaisihmt.com/index.php/ihmt/article/view/370 seg, 15 mar 2021 00:00:00 -0700 Controle social tutelado? Enfrentamentos e dinâmicas democráticas na implantação de organizações sociais na saúde de capital do Nordeste do Brasil https://anaisihmt.com/index.php/ihmt/article/view/371 <p>O Sistema Único de Saúde (SUS) do Brasil, embasado em diretrizes de descentralização, integralidade e participação da comunidade, consiste em um conjunto de ações e serviços de saúde, organizados em níveis de complexidade crescentes.<span class="Apple-converted-space">&nbsp;</span></p> <p>No escopo de controlo social da saúde pública surgiu a Lei nº 8.142/90 (3) que estabelece os princípios de participação e controlo social tendo duas instâncias colegiadas: a Conferência de Saúde – realizada a cada quatro anos; e o Conselho de Saúde, de caráter permanente e deliberativo, sendo normatizada pela resolução CNS nº 333/1992 (mantidos na revisão da resolução CNS n.º 453/2012) (4) que regulamentou as diretrizes globais dos conselhos de saúde e das conferências dos três níveis do SUS.<span class="Apple-converted-space">&nbsp;</span></p> <p>Este estudo busca explicitar alguns dos mecanismos explicativos e dinâmicas democráticas na implantação de organizações sociais na saúde de Fortaleza, a partir da linha teórica do institucionalismo histórico, que foi a opção analítica deste estudo, nomeadamente por meio do modelo de Pierson (neo-institucionalismo) [12, 13] e de North [14, 15] quanto a dependência de trajetória (<em>path dependence</em>).<span class="Apple-converted-space">&nbsp;</span></p> <p>Nesse propósito apresentou-se o percurso histórico-legal das OSs no Brasil e caracterizar a evolução das leis de implementação da gestão por OSS na saúde do Brasil, do Ceará e de Fortaleza. De seguida, os gráficos de gastos mostraram o crescimento dessa opção gerencial.<span class="Apple-converted-space">&nbsp;</span></p> <p>Nos avanços do modelo, houve um acirramento das disputas dentro do Conselho Municipal de Saúde de Fortaleza que acirrou os debates nas exigências de controlo e acompanhamento e dos estudos que gerem evidências científicas das vantagens da terceirização das unidades, conforme acórdãos do TCU (acórdãos nº 3.239/2013, nº 352/2016, nº 1.215/2016 e nº 2.444/2016).<span class="Apple-converted-space">&nbsp;</span></p> <p>Por fim, destacam-se as dificuldades das relações na esfera trabalhista, que necessitam de uma ampliação no debate no que diz respeito a qualificação e valoração das equipas para o exercício legal dos profissionais responsáveis pela atenção à saúde, a necessidade de aprofundamento no amparo legal para as atividades das OSs, assim como procedimentos de controlo fiscal validados pelo respectivo tribunal de contas, a fim de compor ao planejamento das políticas de saúde locais, e possibilitar atuação fiscalizatória à instância de controlo social.<span class="Apple-converted-space">&nbsp;</span></p> Galba Freire Moita, Zulmira M. A. Hartz, Viviane Serra Melanda, Jorge Moura Colares, Ana Paula Romeiro Kaminski ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://anaisihmt.com/index.php/ihmt/article/view/371 seg, 15 mar 2021 00:00:00 -0700 Plano de ações estratégicas para o enfrentamento das doenças crónicas não transmissíveis no Brasil (2011-2022): um estudo de avaliabilidade do componente do fator de risco tabaco https://anaisihmt.com/index.php/ihmt/article/view/372 <p><strong>Objetivo</strong>: Realizar estudo de avaliabilidade do Plano de Ações Estratégicas para o Enfrentamento das Doenças Crónicas não Transmissíveis no Brasil (2011-2022) (Plano DCNT) em seu componente do fator de risco referente ao tabaco.</p> <p><strong>Métodos</strong>: Estudo de avaliabilidade descritivo com a utilização de dados secundários e análise documental do Plano de Ações Estratégicas para o Enfrentamento das Doenças Crónicas não Transmissíveis no Brasil (2011- 2022), no contexto do fator de risco do tabaco. Para a realização do estudo de avaliabilidade foram realizadas as seguintes etapas após análise documental: i) mapeamento dos interessados na avaliação; ii) elaboração do modelo lógico, iii) identificação de perguntas avaliativas e iv) elaboração de matriz de medidas a partir da aplicação dos métodos e da obtenção de dados.</p> <p><strong>Resultados</strong>: O Plano DCNT é um importante marco no enfrentamento das doenças crónicas não transmissíveis e seus fatores de risco no Brasil. A meta referente ao tabagismo foi atingida em 2017. A necessidade desta avaliação se justifica pelo encerramento do Plano DCNT em 2020, pela importância para indicar o impacto dos seus resultados socialmente e na saúde e pela necessidade do Brasil em atingir a meta de ser um país livre de fumo até 2030.</p> Paula Carvalho de Freitas, Patrícia Pereira Vasconcelos de Oliveira, Deborah Carvalho Malta, Zulmira M. A. Hartz ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://anaisihmt.com/index.php/ihmt/article/view/372 seg, 15 mar 2021 00:00:00 -0700 Indicadores de infecção relacionados à assistência à saúde – Estudo de uma Unidade de Terapia Intensiva em Minas Gerais, Brasil https://anaisihmt.com/index.php/ihmt/article/view/373 <p>Este artigo tem como objetivo avaliar mudanças na equipa de enfermagem ocorridas numa unidade de terapia intensiva (UTI) de um hospital público de ensino em Minas Gerais, Brasil, considerando os seus impactos nos indicadores da infeção relacionada com a assistência à saúde (IRAS) e da relacionada com os cateteres venosos centrais (CVCs). O estudo justifica-se pela importância de se estabelecer um modelo de dimensionamento da equipa de enfermagem, considerando o bem estar do paciente e os custos hospitalares. Trata-se de um estudo quantitativo com uso de estatística descritiva. Os resultados mostraram o impacto de cada mudança nos indicadores, evidenciando que o dimensionamento de um enfermeiro para cada cinco leitos de UTI, no período diurno, bem como o ingresso de profissionais por concurso público foram relevantes para as IRAS, enquanto que o estabelecimento de uma dupla de cuidados para cada três leitos foi relevante para a redução do indicador de CVCs.<span class="Apple-converted-space">&nbsp;</span></p> Isabella Torres, Cristina Luiza Ramos da Fonseca, Cíntia Soares, Allan Claudius Queiroz Barbosa ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://anaisihmt.com/index.php/ihmt/article/view/373 seg, 15 mar 2021 00:00:00 -0700 A gestão de caso e a avaliação da vulnerabilidade materna como estratégia de enfrentamento ao óbito infantil no Brasil: o caso do Paraná https://anaisihmt.com/index.php/ihmt/article/view/374 <p>O declínio na taxa de mortalidade infantil é uma conquista brasileira, mas 70% dessas mortes são consideradas evitáveis, e as práticas de avaliação e monitoramento das políticas e programas de saúde, ainda são práticas incipientes. Esta pesquisa teve como objetivo analisar a aplicabilidade da metodologia gestão de caso com gestantes vulneráveis quanto à mortalidade infantil, como enfrentamento à mortalidade infantil. Consistiu um estudo de coorte de base populacional com dados secundários de um o estado brasileiro no período de 2008 a 2012. Foi considerado um nível de intervalo de confiança de 95% e significância mínima de p &lt; 0,05. Foram consideradas variáveis maternas que representavam de 1-5% de mulheres que tiveram gestações no período analisado. Ficou evidente a relação de influência das características sociais e históricas maternas sobre o desfecho de óbitos em menores de um ano. As variáveis maternas: gestantes menores de 15 e com mais de 40 anos, gestantes com antecedentes de filhos mortos e gestações de múltiplos, tiveram maior risco para mortalidade em menores de um ano, configurando população sugestiva para atenção pré natal mais dedicada. Por conseguinte, a gestão de casos em gestantes, configura uma ferramenta útil na prática da atenção à saúde materno infantil.<span class="Apple-converted-space">&nbsp;</span></p> Viviane Serra Melanda, Galba Freire Moita, Cláudia Sirlene de Oliveira, Bonald Cavalcante de Figueiredo, Zulmira M. A. Hartz, Liliana Müller Larocca, Maria Marta Nolasco Chaves, Maria de Fátima Mantovani ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://anaisihmt.com/index.php/ihmt/article/view/374 seg, 15 mar 2021 00:00:00 -0700 Reiterando o sentido da epidemiologia social na compreensão das desigualdades e avanço da equidade em tempos da COVID-19 https://anaisihmt.com/index.php/ihmt/article/view/375 <p>No texto objetivamos refletir sobre a epidemiologia social considerando o contexto desigualdade social intensificado pela pandemia da Covid-19. Para atender esse objetivo, nos propusemos a desenvolver um texto reflexivo, em que resgatamos um pouco da história da epidemiologia social ao longo dos séculos XIX e XX, e ainda nos remetemos alguns teóricos dessa epidemiologia social, e as principais correntes teóricas, que fundamentaram a proposição. Um paralelo foi estabelecido com a epidemiologia tradicional ou clássica, está última centrada no indivíduo e na doença e seus fatores de risco. Também resgatamos os impactos diretos e indiretos trazidos com a Covid-19, notadamente para países e populações mais pobres. À guisa dessa discussão, entendemos como necessária a reafirmação da epidemiologia social, enquanto ciência, para se pensar em soluções para os efeitos da desigualdade. A solução da Covid-19 perpassa a questão da disponibilidade da vacina, insiste em pensar soluções e mecanismos para que sua distribuição seja de maneira justa e equitativa a todos os povos. Embora não haja solução pronta, mas a epidemiologia social pode ser utilizada como base de evidências para se pensar estratégias. Enquanto nem todos se beneficiarem com os avanços da tecnologia médica, a sociedade ainda continuará em risco.<span class="Apple-converted-space">&nbsp;</span></p> Ricardo Alexandre Arcêncio ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://anaisihmt.com/index.php/ihmt/article/view/375 seg, 15 mar 2021 00:00:00 -0700 Diplomacia em saúde e saúde global https://anaisihmt.com/index.php/ihmt/article/view/376 <p>.</p> Thadeu Borges Souza Santos ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://anaisihmt.com/index.php/ihmt/article/view/376 seg, 15 mar 2021 00:00:00 -0700