Estratégia interinstitucional (IHMT/Fiocruz) para fortalecimento da capacidade avaliativa nos países da CPLP: foco nos estudos de implementação para avaliação do PECS

  • Zulmira Hartz Unidade de Saúde Pública Internacional e Bioestatística do IHMT/UNL
  • Marly Cruz Departamento de Endemias da Escola Nacional de Saúde Pública SérgioArouca da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz)
  • Isabel Craveiro Unidade de Saúde Pública Internacional e Bioestatística do IHMT/UNL
  • Sonia Dias Unidade de Saúde Pública Internacional e Bioestatística do IHMT/UNL
Palavras-chave: Fortalecimento de capacidades, avaliação de programas de saúde, análise de implementação

Resumo

O objetivo geral deste artigo é apresentar uma proposta preliminar de estratégia para fortalecimento da capacidade avaliativa nos países da CPLP. Esta abordagem permitirá estimar o grau de implementação do PECS, contextualizado nacionalmente, bem como favorecer a institucionalização do monitoramento e avaliação de desempenho dos diferentes níveis dos sistemas de saúde. A proposta fundamenta-se em mais de duas décadas de experiência na investigação e formação pós-graduada de avaliadores, com base na tipologia de avaliação do Grupo Pesquisa Interdisciplinar de Saúde da Universidade de Montreal, devidamente documentada no Brasil em cinco livros da Editora Fiocruz e diversas edições temáticas das principais revistas de saúde pública.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

1. Afonso, M (2015) - O desenvolvimento da Capacidade de Avaliação nos países
parceiros: a realização de avaliações conjuntas. INA- 3º Encontro Conhecimento e
Cooperação
2. Brasil (2005a). Ministério da Saúde. Programa de Formação de Avaliadores em
Saúde. Departamento de Atenção Básica, Coordenação de Acompanhamento e
Avaliação.
3. Brasil (2005b). Ministério da Saúde. Plano Nacional de Avaliação. Brasília:
Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância de Saúde.
4. CDC - Centers for Diseases Control (1999). Framework for Programa
Evaluation in Public Health. MMWR,48 (RR-11). 40 pp.
5. CDC- (2011) Introduction to Program Evaluation for Public Health Programs:
A Self Study Guide. 100p
6. Champagne F, Brousselle, A, Hartz Z e Contandriopoulos A-P (2011). In Astrid
Brousselle, François Champagne; André-Pierre Contandriopoulos e Zulmira Hartz
(Org.) (2011) A avaliação: conceitos e métodos. Rio de Janeiro : Editora Fiocruz
Modelizar as Intervenções, 61-76.
7. Champagne F, Brousselle, A, Hartz Z, Contandriopoulos A-P e Denis J-L (2011).A
Análise da Implantação In Astrid Brousselle, François Champagne; André-Pierre
Contandriopoulos e Zulmira Hartz (Org.) (2011) A avaliação: conceitos e métodos.
Rio de Janeiro : Editora Fiocruz, 217-240.
8. Contandriopoulos, AP (2011). Avaliar a Avaliação. In Astrid Brousselle, François
Champagne; André-Pierre Contandriopoulos e Zulmira Hartz (Org.) (2011) A avaliação:
conceitos e métodos. Rio de Janeiro : Editora Fiocruz, 263-27 .
9. CEE-Centre of Excellence for Evaluation, Treasury Board of Canada Secretariat,
“Report on Effective Evaluation Practices,” 2004 (http://www.tbs-sct.gc.ca)
10. CEE-Centre of Excellence for Evaluation, Treasury Board of Canada
Secretariat, “Improving the Professionalism of Evaluation,” 2005 (http://www.
tbs-sct.gc.ca)
11. CES-Canadian Evaluation Society, 2005. Essential skills series. (www.evaluationcanada.
ca).
12. Hargreaves, M. B. (2014). Rapid Evaluation Approaches for Complex
Initiatives. Mathematica Policy Research, 23.
13. Hartz, ZMA (1997)- Explorando novos caminhos na pesquisa avaliativa das ações
de saúde. In Hartz, ZMA (org.). Avaliação em Saúde: Dos Modelos Conceituais
à Prática na Análise da Implantação de Programas. Rio de Janeiro: Ed. Fiocruz,
pp.19-28.
14. Hartz, ZMA e Vieira da Silva, LM (2005) Avaliando a implantação das
Intervenções em saúde: novas contribuições. In: Hartz,ZMA; Vieira-da-Silva, LM.
(Org.). Avaliação em saúde: dos modelos teóricos à prática na avaliação de programas
e sistemas de saúde. Rio de Janeiro:Ed. Fiocruz, p. 11-13
15. Hartz, ZMA (2008) – Relatório executivo do plano de trabalho de fortalecimento
da capacidade de avaliação do Sistema Único de Saúde-SUS. Termo de
Cooperação da Secretaria Executiva/Ministério da Saúde e OPAS/OMS
16. Hartz, Z; Ferrinho P (2011) Avaliação de desempenho dos sistemas de saúde: um
contributo para o Plano Nacional de Saúde 2011-2016 In A Nova Saúde Pública. A
Saúde Pública da Era do Conhecimento. Livro de Homenagem a Sakellarides. Lisboa:
Editora Gradiva, pp.58-79
17. IDRC-2007. Working Together to Strengthen Skills. IDRC’s Strategic
Evaluation of capacity development, Phase 3: Developing the Framework. www.
idrc.ca/evaluation
18. LaFond, Anne and Brown, Lisanne. A Guide to Monitoring and Evaluation of Capacity-
Building Interventions in the Health Sector in Developing Countries. MEASURE Evaluation
Manual Series, No. 7. Carolina Population Center, University of North Carolina at
Chapel Hill. 2003.
19. LaFond,Brown&Mcintyre-2002. Mapping Capacity in Health Sector: a conceptual
framework. International Journal of Health Planning & Management, 17:3-32.
20. Mayne J, Johnson N (2015). Using theories of change in the CGIAR Research
Program on Agriculture for Nutrition and Health. Evaluation 21(4), pp. 407–428
http://doi.org/10.1177/1356389015605198
21. Miner KR; Childers WK, Alperin W, Cioffi J & Hunt, N.2005. The MACH
Model: from Competencies to Instruction and Performance of the Public Health
Workforce. PHR. 2005;120 (S1):9-15
22. Ramírez R, Kora G, Shephard D (2015). Utilization Focused Developmental
Evaluation: Learning Through Practice. Journal of MultiDisciplinary Evaluation 11(24)
37–53
23. Rey L (2011). L’évaluation développementale – Enjeux méthodologiques et
défis contextuels. 20ième Colloque annuel de la SQEP
24. Rey, L; Tremblay, M-C ; Brousselle, A (2014) Managing Tensions Between
Evaluation and Research: Illustrative Cases of Developmental Evaluation in the
Context of Research. American Journal of Evaluation, Vol 35, 1:45-60
25. Russon C & Russon K 2006 The Evaluation Capacity Development Group:
A new Nonprofit Organization (www.ecdg.net). Journal of Multidisciplinary
Evaluation, 4:13-25
26. Santos, EM e Cruz MM (2015). Avaliação em Saúde. Dos modelos teóricos à
prática da avaliação dos programas de controle dos processos endêmicos. Editora
Fiocruz, 253p
27. Stevahn, L; King, JA; Ghere, G and Minnema J. 2005. Evaluator competencies
in University- based Evaluation Training Programs.Canadian Journal of Program
Evaluation, 20(2):101-123
28. Valters C (2014). Theories of Change in International Development:
Communication, Learning, or Accountability? The Justice and Security Research
Programme 17
29. Walker R (2015). Relating Outputs, Outcomes and Impact in the Evaluation of
International Development Projects. Journal of MultiDisciplinary Evaluation 11(24),
pp. 76–83
30. World Bank (2004). Influential Evaluations
31. Yin, R. K & Davis, D. (2007). Adding new dimensions to case study evaluations:
The case of evaluating comprehensive reforms. New Directions for Evaluation, nº
133, springer: 75-93.
Publicado
2018-08-27