O Instituto Oswaldo Cruz: 115 anos de ciência para a saúde da população Brasileira

  • Cláudio Tadeu Daniel-Ribeiro Pesquisador Titular e ex-Diretor do Instituto Oswaldo Cruz (IOC), Fundação Oswaldo Cruz e Membro da Academia Nacional de Medicina
  • Wilsonq Savino Pesquisador Titular e Diretor do Instituto Oswaldo Cruz (IOC), Fundação Oswaldo Cruz e Membro da Academia Brasileira de Ciências
Palavras-chave: Instituto Oswaldo Cruz, Oswaldo Gonçalves Cruz, história, produção acadêmico-científica, Castelo Mourisco, Pavilhão Mourisco

Resumo

Os autores relatam uma breve história do Instituto Oswaldo Cruz, que tem seu Pavilhão principal edificado sob a forma de um castelo para representar um templo para a ciência e a saúde para a população Brasileira. Especificamente destinado à fabricação de soro e vacina contra a peste e à campanha contra essa endemia em sua concepção inicial, o Instituto Soroterápico Federal formou um pequeno grupo que rapidamente absorveu e ampliou o conhecimento científico e tecnológico necessário ao sucesso da criação e à consolidação do Instituto. À frente do empreendimento, Oswaldo Cruz soube ampliar esse bem sucedido primórdio de desenvolvimento tecnológico para abranger e estimular o desenvolvimento da ciência nacional no campo das patologias infecciosas. Com um desenvolvimento científico nivelado aos mais altos padrões da época, associado à formação de jovens cientistas através do Curso de Aplicação criado em 1908, à divulgação do conhecimento gerado em seus laboratórios com a circulação das “Memórias do Instituto Oswaldo Cruz” a partir de 1909 e à produção de vários agentes profiláticos, terapêuticos e diagnósticos; já ao fim da primeira década do século XX, o Instituto havia assumido as tarefas que hoje caracterizam a moderna Universidade: ensino, pesquisa e extensão. Alicerce para a criação da Fundação Oswaldo Cruz em 1970, o IOC é hoje um dos principais Centros de Pesquisa, Ensino e Desenvolvimento Tecnológico do Brasil e da América do Sul tendo o seu vigor manifesto pela marca de mais de 2.300 teses e dissertações defendidas em seus laboratórios de pesquisa que abrigam cerca de 700 estudantes de pós-graduação stricto sensu e publicaram em 2014 mais de 570 artigos científicos.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2018-09-03