Avaliação do desempenho e gestão do conhecimento no Escritório de Projetos da Presidência da Fundação Oswaldo Cruz

  • Marly Marques da Cruz Pesquisadora titular em saúde pública da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (ENSP/Fiocruz) do Departamento de Endemias Samuel Pessoa no Laboratório de Avaliação de Situações Endêmicas Regionais (LASER). Rio de Janeiro
  • Ana Cláudia Figueiró Nutricionista, doutora em saúde pública, pesquisadora adjunta da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (ENSP/Fiocruz) do Departamento de Endemias Samuel Pessoa no Laboratório de Avaliação de Situações Endêmicas Regionais (LASER).
  • Juliana Fernandes Kabad Cientista social, doutoranda em saúde pública, pesquisadora assistente do Laboratório de Avaliação de Situações Endêmicas Regionais, Departamento de Endemias Samuel Pessoa, Escola Nacional de Saúde Pública (LASER/ENSP/Fiocruz).
  • Santuzza Arreguy Silva Vitorino Nutricionista, doutora em saúde pública, pesquisadora visitante da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (ENSP/Fiocruz) do Departamento de Endemias Samuel Pessoa no Laboratório de Avaliação de Situações Endêmicas Regionais (LASER).
Palavras-chave: Avaliação em saúde, desempenho, gestão do conhecimento para pesquisa em saúde, projetos de pesquisa

Resumo

A gestão de projetos e utilização dos resultados de pesquisa é tema de interesse da academia e dos formuladores de políticas. O Escritório de Projetos da Presidência da Fiocruz (EPP) foi criado para apoiar projetos de cooperação técnica alinhados às diretrizes do Sistema de Saúde brasileiro. O objetivo é apresentar as bases teórico-metodológicas, e primeiros achados da avaliação de desempenho do EPP e da utilização do conhecimento produzido. Como abordagem metodológica, optou-se pela Teoria do Ator Rede por permitir revelar interesses, interações e mediações na produção dos factos científicos dos projetos. Adotou-se o estudo de caso com diferentes níveis de análise, sendo o EPP avaliado quanto à gestão de projetos e do conhecimento. O uso de métodos mistos, com etapas quantitativas e qualitativas orientará a coleta e análise de dados. Os primeiros resultados referem-se à construção do modelo lógico, discutindo a situação problema e indicando os componentes. A construção das micro e macro redes visou identificação das conexões do EPP com setores ou instituições. Com o mapeamento sistemático foram formulados os critérios e indicadores de desempenho. Identificou-se avanços na compreensão do papel do EPP, dos atores envolvidos e das evidências de boas práticas que poderão orientar o modelo de gestão. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Weiss, WP. Predicting energy values of feeds. In: Symposium: prevailing conceptsin energy utilization by ruminants. J. Dairy Sci., 76; 1993, p. 1802-1811.

Weiss, WP. Estimating the available energy content of feeds for dairy cattle. In:Symposium: energy availability. J. Dairy Sci., 81; 1998, p. 830-839.

Hanney, SR. The utilization of health research in policy-making: concepts, examplesand methods of assessment. Health Research Policy and Systems, 1(2); 2003a, p. 1-28.

Hartz ZMA, Denis JL, Moreira E, Matida A. From knowledge to action: challengesand opportunities for increasing the use of evaluation in health promotionpolicies and practices. In: McQueen DV, Potvin L, editors. Health promotionevaluation practices in the Americas: values and research. New York: Springer;2008. p. 101-20.

Fiocruz. Escritório de Projetos da Presidência. Rio de Janeiro; 2017, p. 11.

Ferrinho, PDLGM; Hartz, Z. Avaliação de desempenho dos sistemas de saúde:um contributo para o Plano Nacional de Saúde 2011-2016. In: A Nova Saúde Pública- A Saúde Pública da Era do Conhecimento. Lisboa, Portugal: Gradiva; 2011,p. 58-79.

Elias FTS, Patroclo M A. Utilização de pesquisas: como construir modelos teóricospara avaliação? Ciência & Saúde Coletiva, 10(1); 2004, p. 215-227.

Couto PC. Avaliação dos usos e influências do conhecimento proveniente de pesquisasfinanciadas pelo Ministério da Saúde sobre a subagenda Alimentação e Nutrição.102 p. Dissertação (Mestrado Profissional em Saúde Pública) – Escola Nacionalde Saúde Pública Sérgio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro; 2017.

Hanney SR, Gonzalez-Block MA, Buxton, MJ, Kogan, M. et al. The utilization ofhealth research in policy-making: concepts, examples and methods of assessment.Health Research Policy and Systems, London, 1(2); 2003b.

Innvaer, S.; Vist, G.; Trommald, M.; Oxman, A. Health policymakers’ perceptionof their use of evidence: a systematic review. Journal of Health Services Research&Policy, London, 7(4); 2002, p. 239-244.

Hanney SR, Buxton M, Green C, Coulson D, Raftery J. An Assessment of theImpact of the NHS Health Technology Assessment Programme. Health TechnologyAssessment, 11(53); 2007.

Reis AC, Santos EM, Arruda MR, Oliveira PT. Estudo exploratório dos modelosde avaliação de desempenho em saúde: uma apreciação da capacidade avaliativa.Saúde em Debate, Rio de Janeiro, 41; 2017, p. 330-344.

Sicotte C, Champagne F, Contandriopoulos AP, Barnsley J, Béland F , LeggatSG, et al. A conceptual framework analysis of health care organizations performance.Health services management research, 11; 1998, p. 24-48.

Champagne F, Contandriopoulos AP, Tanon A. L’évaluation des Programmes:Processus, Pratiques et prise de décision. GRIS et Département d’Administrationde la Santé, Université de Montréal; 2005.

Ferrinho PDLGM, Hartz Z. Avaliação de desempenho dos sistemas de saúde: umcontributo para o Plano Nacional de Saúde 2011-2016. In: A Nova Saúde Pública - ASaúde Pública da Era do Conhecimento. Lisboa, Portugal: Gradiva; 2011, p. 58-79.

Zimmerman BJ, Dubois N, Houle J, Lloyd S, Mercier C, Brousselle A, Rey L.How does complexity impact evaluation? an introduction to the special issue. TheCanadian journal of program evaluation, 26(3); 2011, p. v-xx.

Mantoura P, Gendron S, Potvin L. Participatory research in public health: creatinginnovative alliances for health. Health Place 13(2); 2007, p. 440-51.

Trickett EJ. Multilevel community-based culturally situated interventions andcommunity impact: an ecological perspective. Am J Commun Psychol, 43; 2009, p.257-266.

Hawe P, Shiell A, Rilley T. Theorising interventions as events in systems. AmericanJournal Community Psychologie, New York, 43; 2009, p. 267-276.

Law J. After Method Mess in social science research, Editor John Urry, LancasterUniversity; 2004, p.160.

Figueiró AC, Hartz Z, Samico I, Cesse EAP. Usos e influência da avaliação emsaúde em dois estudos sobre o Programa Nacional de Controle da Dengue. Cad.Saúde Pública, Rio de Janeiro, 28(11); 2012, p. 2095-2105.

Yin RK. Estudo de caso: planejamento e métodos. Porto Alegre: Bookman;2015.

Contandriopoulos AP, Trottier LH, Champagne F. Improving performance: akey for Quebec´s health and social services centres. Infoletter (Thema); 2008.

Figueiró AC, de Araújo Oliveira SR, Hartz Z, Costurier Y , Bernier J , SocorroMachado Freire M, et al. A tool for exploring the dynamics of innovative interventionsfor public health: the critical event card. Int J. Public Health; 2016.

Bilodeau A, Bouteiller D, Filion G, Perreault M, Labrie L. La pérennisation desprogrammes de promotion de la santé en entreprise est-elle possible? Le cas dequatre entreprises privées québécoises de travailleurs cols bleus. Revue CanadienneDe Santé Publique, 96(2); 2005, p. 114-120.

Potvin L, Gendron S. Programação e avaliação em saúde. In: Seminário avançado:programação e avaliação em promoção da saúde. [Apostila] Recife: InstitutoMaterno Infantil Prof. Fernando Figueira; 2006.

Champagne F, Contandriopoulos AP, Brousselle A, Hartz Z, Denis, JL. A Avaliaçãono Campo da Saúde: conceitos e métodos. In: Hartz Z, Contandriopoulos AP,Champagne F, Brousselle A, organizadores. Avaliação conceitos e Métodos. Rio deJaneiro: Editora Fiocruz; 2011. p. 41-60.

Proença Junior, D.; Silva, ER. Contexto e processo do Mapeamento Sistemáticoda Literatura no trajeto da Pós-Graduação no Brasil. TransInformação, Campinas,28(2):233-240, maio/ago, 2016.

Andersen B, Henriksen, B Aarseth WA. Benchmarking of Project ManagementOffice Establishment: Extracting Best Practices. Journal of Management In Engineering,23(2); 2007, p. 97-134.

Ali A, Krapfel Jr R, LaBahn D. Product innovativeness and entry strategy: impacton cycle time and break-even time. Journal of Product Innovation Management,12(1); 1995, p. 54-69.

Calderini M, Cantamessa M. Innovation paths in product development: an empiricalresearch. International Journal of Production Economics, 51(1-2); 1997,p. 1-17.

Bucur CM, Onete B. Project Office - A Necessity In A Competitive Company.Amfiteatru Economic; 2008, p. 62-68.

Martins VA, Martins MR. Outsourcing Operations in Project ManagementOffices: The Reality of Brazilian Companies. Project Management Journal. 43(2);2012, p. 68-83.

Spalek S. Improving Industrial Engineering Performance through a SuccessfulProject Management Office. Inzinerine Ekonomika-Engineering Economics,24(2); 2013, p. 88-98.

Alves RO, Costa HG, Quelhas OLG, Silva LE, Pimentel LB. Best practices inproject management office implementation: Development of success reference.Produção. 23(3); 2013, p. 582-594.

Barbalho SCM, Amaral DC, Kernbichler TS, Richter EH, Torres L. Breakingbarriers to the project management office implementation in a small and high technologyenterprise. Gestão e Produção, 16(3); 2009, p. 435-49.

Maximiano ACA, Anselmo JL. Escritório de gerenciamento de projetos: umestudo de caso. Revista de Administração, 41(4); 2006, p. 394-403.

Publicado
2019-02-26
Secção
Artigos Originais

Artigos mais lidos pelo mesmo (s) autor (es)