Gestão de projetos numa complexa organização pública federal brasileira: desafios da institucionalização na era da Nova Governança Pública

  • Ernane Novais Mestre em Administração Pública pela EBAPE/FGV, Rio de Janeiro, Brasil. Escritório de Projetos da Presidência da Fundação Oswaldo Cruz – Fiocruz, Rio de Janeiro
Palavras-chave: Gerenciamento de projetos, escritório de gerenciamento de projetos, complexidade organizacional, institucionalização, nova governança pública

Resumo

Neste trabalho pretende-se discutir a institucionalização da gestão de projetos no contexto da administração pública brasileira, mais especificamente, na Fiocruz, uma complexa organização pública federal brasileira. A relevância do tema concentra-se em contribuir para a realização da missão da organização, para o sucesso de seus projetos e para a consecução dos objetivos organizacionais. O significado da pesquisa está no facto de que ela contribui para superar os percalços e desafios dos Escritórios de Gerenciamento de Projetos (EGP) no setor público. O objetivo geral é propor ações voltadas à institucionalização do gerenciamento de projeto numa organização com esse perfil. Como objetivos específicos, o trabalho pretende mapear os Escritórios de Projetos existentes na Fiocruz; analisar informações sobre como os projetos são gerenciandos; e definir procedimentos padronizados para o gerenciamento institucional de projetos. A aplicabilidade da pesquisa é relevante, na medida em que com a adoção dos procedimentos padrão e implementação das ações propostas, podem ser obtidos ganhos como: otimização de recursos; adoção de uma cultura de registro das lições aprendidas; melhor funcionamento dos órgãos colegiados; e alcance de cultura de excelência em gerenciamento de projetos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Selznick P. Institutionalism “Old” and “New”. Administrative Science Quarterly.

; 41: p. 270-277.

Guarido Filho ER, Machado-da-Silva CL, Gonçalves, SA. Institucionalização da

Teoria Institucional no Contexto dos Estudos Organizacionais no Brasil. São Paulo.

Anais do ANPAD. 2009, 33: 1-16.

Hall RH. Organizações, estruturas e processos. Rio de Janeiro: Printice/Hall do

Brasil, 3a ed.; 1984.

Kliksberg B. Como Transformar o Estado: para além dos mitos e dogmas. Brasília:

ENAP, 1992.

Mintzberg H. Moldando a estratégia. In: Mintzberg H et al. O processo da estratégia.

Porto Alegre: Bookman, 2006. p.130-136.

Boyne, GA, Walker RM. Strategic management and public service performance:

the way ahead. Public Administration Review. 2010; Vol. 70 (Supplement): p.

-192.

Peci A, Pieranti OP, Rodrigues S. Governança e New Public Management: convergências

e contradições no contexto brasileiro. Organ. Soc. 2008; V. 15, n. 46: p. 39-55.

Osborne SP. The new public governance? Public Management Review. 2006; Vol.

, No.3: p. 377-387.

Valle AB, Soares CA, Finocchio Júnior J, Da Silva LSF. Fundamentos de Gerenciamento

de Projetos. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2. ed., 2010.

Hwang B, Lim EJ. Critical success factors for key project players and objectives:

case study of Singapore. Journal of Construction Engineering and Management.

; V. 139, n. 2: p. 204-215.

Bryde D J. Modeling Project Management Performance. International Journal

of Quality & Reliability Management. 2003: V. 20, n. 2: p. 229-254.

Ofori DF. Project management practices and critical success factors - A developing

country perspective. International Journal of Business and Management.

: V. 8, n. 21: p. 14-31.

Thiry-Cherques HR. Saturação em pesquisa qualitativa: estimativa empírica de

dimensionamento. PMKT / Revista Brasileira de Pesquisas de Marketing, Opinião

e Mídia. 2009; N. 3: p. 20-28.

Bardin L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70; 1979. Tradução de Luís

Antero Reto e Augusto Pinheiro.

Valle JAS, Ferreira VCP, Joia LA. A representação social do escritório de gerenciamento

de projetos na percepção de profissionais da área. Gestão & Produção.

: V. 21, n. 1: p. 185-198.

Alves RO, Costa HG, Quelhas OLG, Da Silva LE, Pimentel LB. Melhores prá-

ticas em implantação de escritório de gerenciamento de projeto: desenvolvimento

de referenciais de sucesso. Production. 2013: V. 23, n. 3: p. 582-594.

Rabechini Júnior R, De Carvalho MM, Rodrigues I, Sbragia R. A organização da

atividade de gerenciamento de projetos: Os nexos com competências e estrutura.

Gestão & Produção. 2011: V. 18, n. 2: p. 409-424.

Durand Júnior ICB, Dallagnol RM. A importância da gestão de projetos na

captação de recursos para a administração municipal. Redes. 2014: V. 19, n. 2: p.

-137.

Kerzner H. Gerenciamento de Projetos: uma abordagem sistêmica para planejamento,

programaçã o e controle. São Paulo: Blucher, 2011. Tradução de João

Gama e Joyce Prado.

Batista FF. Modelo de gestão do conhecimento para a administração pública

brasileira: como implementar a gestão do conhecimento para introduzir resultados

em benefício ao cidadão. Brasília: IPEA, 2012.

Publicado
2019-02-26
Secção
Artigos Originais