Capacitação e parcerias norte/sul na área da saúde – o caso do projeto UDI-A

  • António Carvalho GHTM, Centro Colaborador da OMS para Políticas e Planeamento da Força de Trabalho em Saúde, NOVA-IHMT, UNL. Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra
  • Paulo Ferrinho GHTM, Centro Colaborador da OMS para Políticas e Planeamento da Força de Trabalho em Saúde, NOVA-IHMT, UNL
  • Isabel Craveiro GHTM, Centro Colaborador da OMS para Políticas e Planeamento da Força de Trabalho em Saúde, NOVA-IHMT, UNL
Palavras-chave: Capacitação, parcerias norte/sul, mobilidade internacional, académicos africanos, Angola, Moçambique, Portugal

Resumo

O projeto “University Development and Innovation – Africa (UDI-A)” é um consórcio liderado pela Universidade NOVA de Lisboa em parceria com instituições académicas europeias e africanas e que visa melhorar o currículo académico e científico de quatro Universidades – duas em Angola e duas em Moçambique - e capacitá-las para o empreendedorismo social. Este artigo visa compreender as experiências, motivações e críticas dos académicos africanos (designados como Champions), valorizando as vozes dos participantes do Sul Global, cujas narrativas são frequentemente ignoradas pela literatura sobre capacitação e parcerias. Os dados apresentados neste artigo foram recolhidos entre março e abril de 2018 através de metodologias e técnicas qualitativas (participação observante, entrevistas semi estruturadas, um grupo focal e análise documental) de recolha de dados junto de todos os Champions associados ao setor da saúde. As entrevistas e grupo focal foram transcritos na íntegra e foi realizada uma análise de conteúdo temática das transcrições. Os resultados indicam que as motivações iniciais dos Champions estão relacionadas com a combinação das áreas da investigação, docência e empreendedorismo, mas também a possibilidade de se estabelecerem parcerias e projetos de intervenção comunitária. Em termos da experiência, o contacto com metodologias de ensino inovadoras foi reconhecido pelos Champions como uma mais valia. Na conclusão são apresentadas algumas propostas para a reconfiguração dos exercícios de capacitação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Craveiro I, Hartz Z. (2017). A equidade na investigação avaliativa com foco na cooperação em saúde para o desenvolvimento. An. Inst. Hig. Med. Trop. 16(2), 31-38.

Edejer, T. T. T. (1999). North-South research partnerships: the ethics of carrying out research in developing countries. BMJ: British Medical Journal, 319(7207), 438.

Smith, E., Hunt, M., & Master, Z. (2014). Authorship ethics in global health research partnerships between researchers from low or middle income countries and high income countries. BMC Medical ethics, 15(1), 42.

Mayhew, S. H., Doherty, J., & Pitayarangsarit, S. (2008). Developing health systems research capacities through north-south partnership: an evaluation of collaboration with South Africa and Thailand. Health research policy and systems, 6(1), 8.

Nações Unidas (2018). Objetivos para o Desenvolvimento Sustentável.” https://www.ods.pt/objectivos/17-parcerias-para desenvolvimento/?portfolio-Cats=24

Carvalho, A., IJsselmuiden, C., Kaiser, K., Hartz, Z., & Ferrinho, P. (2018). Towards equity in global health partnerships: adoption of the Research Fairness Initiative (RFI) by Portuguese-speaking countries. BMJ Global Health, 3(5), e000978.

Tenbruck FH. (1990). The dream of a secular ecumene: the meaning and limits of policies of development. Theory Cult. Soc.; 7(2-3), 193-206.

Carvalho, A., Nunes, J., & Hartz, Z. (2017). Saúde para o desenvolvimento, parcerias de investigação e equidade: uma revisão de literatura. Anais do Instituto de Higiene e Medicina Tropical, 16(2), 93-104.

Bradley M. (2008). On the agenda: North–South research partnerships and agenda-setting processes. Development in Practice 18(6): 673–85.

Larkan F, Uduma O, Lawal SA, Bavel B. (2016). Developing a framework for successful research partnerships in global health. Glob Health 12:17. Doi: 10.1186/s12992-016-0152-1

Carvalho, A., Ijsselmuiden, C., Klipp, K., Ferrinho, P., & Hartz, Z. (2017). A implementação da Iniciativa para a Equidade na Investigação. Anais do Instituto de Higiene e Medicina Tropical, 16(2), 11-20.

COHRED. Research Fairness Initiative Summary Guide (2017). Available from: http://rfi.cohred.org/wpcontent/uploads/2017/02/RFI_SummaryGuide_20170225_HiRes.pdf .

World Health Organization (WHO). Capacity building and initiatives (2006). Available from: http://www.who.int/tobacco/control/capacity_building/background/en/

Crisp, B. R., Swerissen, H., & Duckett, S. J. (2000). Four approaches to capacity building in health: consequences for measurement and accountability. Health promotion international, 15(2), 99-107.

Vasquez, E. E., Hirsch, J. S., Giang, L. M., & Parker, R. G. (2013). Rethinking health research capacity strengthening. Global public health, 8(sup1), S104-S124.

Bryman A. Qualitative Research. Leicester: Sage; 2007.

Kemmis, S., & McTaggart, R. (2005). Participatory action research: Communicative action and the public sphere. London: Sage.

Jentsch, B., & Pilley, C. (2003). Research relationships between the South and the North: Cinderella and the ugly sisters? Social science & medicine, 57(10), 1957-1967.

Jentsch, B. (2004). Making Southern realities count: research agendas and design in North-South collaborations. International Journal of Social Research Methodology, 7(3), 259-269.

Woodward, A., Fyfe, M., Handuleh, J., Patel, P., Godman, B., Leather, A., & Finlayson, A. (2014). Diffusion of e-health innovations in ‘post-conflict’settings: a qualitative study on the personal experiences of health workers. Human resources for health, 12(1), 22.

David S. Martin, Anna R. Craft & Harm Tillema (2002) International Collaboration: Challenges for Researchers, The Educational Forum, 66:4, 365-370, DOI: 10.1080/00131720208984856

Sapag Jaime C., Herrera Andrés, Trainor Ruth, Caldera Trinidad & Khenti Akwatu (2013) Global mental health: transformative capacity building in Nicaragua, Global Health Action, 6:1, DOI: 10.3402/gha.v6i0.21328 https://doi.

org/10.3402/gha.v6i0.21328

Freire, P. (1968). Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

Steyaert, C., & Katz, J. (2004). Reclaiming the space of entrepreneurship in society: geographical, discursive and social dimensions. Entrepreneurship & regional development, 16(3), 179-196.

Carvalho, António; Nunes, João Arriscado (2018). Assembling Upstream Engagement: The Case of the Portuguese Deliberative Forum on Nanotechnologies. NanoEthics, 12(2), 99-113.

Publicado
2019-03-31