Trinta anos do Sistema Único de Saúde brasileiro - Sustentabilidade e desafios: perceções de atores estratégicos

  • Renilson Rehem de Souza Mestre em Administração de Saúde: Gestão de Sistemas de Saúde. Superintendente Executivo da Hospital da Criança de Brasília/Brasil
  • Júlio Manuel Suarez Jiménez Mestre em Saúde Pública. Assessor da Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde, Brasília/Brasil
  • Janine Giuberti Coutinho Doutora em Nutrição. Assessora da Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde, Brasília/Brasil
  • Tania Cristina Morais Santa Barbara Rehem Doutora em Ciências. Professora Adjunta da Universidade de Brasília/Brasil
  • Marina Schinzato Camelo Mestranda do Programa de Pós Graduação em Enfermagem da Universidade de Brasília/Brasil
  • Renato Tasca Mestre em Saúde Pública. Assessor da Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde, Brasília/Brasil

Resumo

O Sistema Único de Saúde (SUS) é um avanço a redução das desigualdades sociais. Entretanto, a viabilidade e a sustentabilidade do SUS são questionadas. Em resposta, a OPAS/OMS realizou uma pesquisa com o
objetivo de compreender os limites e as possibilidades para a consolidação do SUS, a partir do posicionamento técnico, político e ideológico dos atores envolvidos no processo de conceção e implementação desse sistema. Desenvolveu-se um estudo qualitativo, envolvendo 86 atores, cujos dados foram obtidos por entrevistas estruturadas e comentários livres. As análises trataram do direito à saúde, integralidade da atenção, marcos legais, judicialização, relações federativas, redes de atenção à saúde, participação social, modelos de atenção, perfil da atenção primária à saúde, financiamento e relação público privada. Ficou evidenciada a necessidade de realizar mudanças no SUS. Porém, prevalece o receio sobre
os riscos de implementar transformações na estrutura e organização do sistema de saúde brasileiro, no contexto político e económico vivido pelo país no final da década de 2010. A defesa da saúde como direito,
combinada à criatividade e à capacidade de superar adversidades, transformou o SUS em um exemplo para América Latina e referência para o mundo e é preciso seguir preservando direitos e defendendo o SUS.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2019-12-05