O Governo Prisioneiro

  • Jorge Simões Global Health and Tropical Medicine do IHMT da UNL (Portugal); Professor Catedrático Convidado da Universidade de Aveiro (Portugal); Professor visitante da Universidade de São Paulo (Brasil)
  • Sara Jardim LL.M (Heidelberg); NOVA Health Systems and Policies Research Group, NOVA Unitversity Lisbon (Portugal)
Palavras-chave: Administração pública, Estado, Integração Europeia, Tribunal de contas, Regulação, Sociedade civil, Poder político

Resumo

Ao longo das últimas décadas o papel do Estado e, em particular, as funções do governo têm sofrido significativas alterações, com sucessivos constrangimentos do seu poder decisório à medida que emergiam novos intervenientes. O fenómeno, capaz de alterar o entendimento clássico de estatalidade, é transversal à maioria das democracias ocidentais e embora constitua uma resposta às transformações sociais e económicas ocorridas, tem sido dificilmente acompanhado pela evolução dos modelos de administração pública. Mantém-se, todavia, na esfera exclusiva do Executivo o exercício de poderes na qualidade de órgão superior da admi- nistração pública, abrangendo a responsabilidade pela concretização dos valores que presidem à gestão pública. A tensão entre a maximização da eficiência e a defesa da transparência constitui um desafio tanto ou mais complexo quanto mais densa se torna a teia de relações entre os diversos protagonistas da decisão pública. Procuramos analisar a emergência da partilha de soberania, distinguindo cinco momentos-chave em Portugal, enquadrados por fenómenos reformistas de geografia mais ampla, quer supra- nacional, quer internacional. A União Europeia, o processo de privatizações, a regulação, o controlo financeiro e o Tribunal de Contas, bem como a sociedade civil constituem os intervenientes em destaque. A erosão da ideia clássica de autonomia associada à complexidade da governação atual será retratada, procurando-se demonstrar que a transferência da responsabilidade política deve ser acompanhada da proteção das ferramentas que asseguram a representatividade social na decisão pública e que promovam a justiça social e a equidade, nem sempre compatíveis com a diversidade de legítimos interesses e expectativas dos cidadãos. A transparência dos processos de decisão, a relevância da informação e a colaboração, institucional e com os cidadãos, constituem fios condutores para superação dos obstáculos que exigem uma nova abordagem ao exercício do poder público.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Governo de Portugal. Arquivo histórico. Memorando de Entendimento no âmbito do programa de assistência económica e financeira (1.o Memorando e 1.a, 2.a, 3.a, 4.a, 5.a, 6.a, 7.a, 8.a, 9.a, 10.a, 11.a e 12.a revisões regulares). 2011. [consultado em 21 de abril de 2023]. Disponível em: https://www.historico.portugal.gov.pt/ pt/o-governo/arquivo-historico/governos-constitucionais/gc19/os-temas/memorandos/memorandos.aspx.

Diário da República Eletrónico. Lei n.o 67/2013, de 28 de agosto. Lei-quadro das entidades administrativas independentes com funções de regulação da atividade económica dos setores privado, público e cooperativo. [consultado em 23 de abril de 2023]. Disponível em https://dre.pt/dre/legislacao-consolidada/lei/2013106955825.

Diário da República Eletrónico. Lei no 2/2013, de 10 de janeiro, que estabelece o regime jurídico de criação, organização e funcionamento das associações públicas profissionais. [consultado em 23 de abril de 2023]. Disponível em: https://dre.pt/ dre/detalhe/lei/2-2013-588802.

Canotilho JG. O direito constitucional passa; o direito administrativo passa também. Em: Estudos em homenagem ao Prof. Doutor Rogério Soares. Coimbra: Coimbra Editora; 2001. p. 705-722. [consultado em 23 de abril de 2023]. Disponí- vel em https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/5713368/mod_resource/content/1/C ANO TILHO_O%20Direito%20Constitucional%20passa_%20o%20 Direito%20Administrativo%20passa%20tambe%CC%81m_OtavioVenturini.pdf.

Nikolas R, Miller P. Political Power beyond the State: Problematics of Government. The British Journal of Sociology.1992; 43(2). [consultado em 21 de abril de 2023]. Disponível em https://doi.org/10.2307/591464.

Garcia MG. Direito das Políticas Públicas. Almedina: Coimbra; 2018. p. 39 e ss.

OCDE. Innovative Citizen Participation and New Democratic Institutions: Catching the Deliberative Wave. 2020. [consultado em 20 de abril de 2023]. Disponível em: https://doi.org/10.1787/339306da-en.

Estorninho MJ. A fuga para o Direito Privado. Contributo para o estado da actividade de direito privado da Administração Pública. 2.a Ed. Coimbra: Almedina; 2009.

Sen A. Identity and Violence. The illusion of Destiny. Penguin Group; 2006, p. 130.

Zuleeg F, Emmanouilidis JA, Castro RB. Europe in the age of permacrisis. European Policy Centre. Março de 2021 - [consultado a 21 de abril de 2023]. Disponível em: https://www.epc.eu/en/Publications/Europe-in-the-age-of- -permacrisis~3c8a0c.

Reinnermann H. Modernisierung von Staat und Verwaltun. Verwaltung und Management. 2003;6. p. 331-334. [consultado em 21 de abril 2023]. Disponível em https://www.uni-speyer.de/fileadmin/Ehemalige/Reinermann/rome.pdf.

Comissão Europeia. Supporting Public Administrations in EU Member States to Deliver Reforms and Prepare for the Future. 2021.[consultado em 21 de abril de 2023]. Disponível em: https://commission.europa.eu/system/files/2022-12/ supporting_public_administrations_in_eu_ms_to_deliver_reforms_0.pdf.

Neves AF. Direito da Organização Administrativa e Serviço Público. Coimbra: Almedina, 2023.

Comissão Europeia. Governança Europeia - Um Livro Branco. 2001. [consultado em 21 de abril de 2023]. Disponível em https://eur-lex.europa.eu/PT/ legal-content/summary/white-paper-on-governance.html.

ONU. Transforming our world: the 2030 Agenda for Sustainable Development. A/RES/70/1. 2015. [consultado em 21 de abril de 2023]. Disponível em https://documents-dds-ny.un.org/doc/UNDOC/GEN/N15/291/89/PDF/ N1529189.pdf?OpenElement.

Conselho da União Europeia. A economia do bem-estar - Resumo do documento de referência da OCDE intitulado “Criar oportunidades para o bem-estar das pessoas e o crescimento económico”. 2019. [consultado em 21 de abril de 2023]. Disponível em: https://data.consilium.europa.eu/doc/document/ST10414-2019-INIT/pt/pdf.

Comissão Europeia. Supporting Public Administrations in EU Member States to Deliver Reforms and Prepare for the Future. 2021. [consultado em 21 de abril de 2023]. Disponível em: https://commission.europa.eu/system/files/2022-12/ supporting_public_administrations_in_eu_ms_to_deliver_reforms_0.pdf.

Comissão Europeia. Decision setting up the group of experts on public administration and governance. 2021. [consultado em 21 de abril de 2023]. Disponível em file:///C:/Users/sara_/Downloads/C(2021)9535_0%20(2).pdf.

Ferreira EP, Morais LS. A Regulação Sectorial da Economia. Introdução e Perspectiva Geral. Em: Ferreira EP, Morais LS, Anastácio G. (coordenadores). Regulação em Portugal: Novos Tempos, Novo Modelo? Coimbra: Almedina; 2009. p 7-38.

Barreto A. A Fundação Gulbenkian e a Sociedade Portuguesa. Em: Fundação Calouste Gulbenkian, cinquenta anos, 1956-2006. Lisboa: FCG; 2007. p 17-67.

Pereira PT. O Prisioneiro, o Amante e as Sereias. Coimbra: Almedina; 2008.

Corkill D. O Desenvolvimento Económico Português no Fim do Estado Novo. Em: Rosas F e Oliveira PA. (coordenadores). A Transição Falhada – O Marcelismo e o Fim do Estado Novo (1968-1974). Lisboa: Editorial Notícias; 2004.

Moreira V. Auto-regulação Profissional e Administração Pública. Coimbra: Coimbra Editora; 1997.

Moreira V, Leitão Marques M. A Mão Visível – Mercado e Regulação. Coimbra: Coimbra Editora; 2003.

Moreira V, Lima LV. A nomeação dos reguladores – entre o radicalismo e a moderação das propostas de reforma. Em: Textos de Regulação, n.o 2. Entidade Reguladora da Saúde;2012.

Moreira V, Maças F. Autoridades Reguladoras Independentes – Estudo e Projecto de Lei-Quadro. Coimbra: Coimbra Editora; 2003.

Lourenço A. O Estado Regulador em Portugal. Evolução e desempenho. Fundação Francisco Manuel dos Santos; outubro de 2022. [consultado a 21 de abril de 2023]. Disponível em file:///C:/Users/sara_/Downloads/Estudo%20Comple- to%20(PDF).pdf

Simões J, Vale Lima L. A regulação da saúde em Portugal. IHMT[Internet]. 30Jun.2017 [citado em 24 de Abril de 2023]. 16:29-7. Disponível em https:// anaisihmt.com/index.php/ihmt/article/view/41.

Vital M. Administração Autónoma e Associações Públicas. Coimbra: Coimbra Editora; 1997.

Amaral F. Curso de Direito Administrativo. Coimbra: Almedina; 1998 (Vol. II). p. 408.

Moreira V. Causa-nossa Blog [Internet]. 22 de março 2023 [citado a 21 de abril de 2023]. Disponível em https://causa-nossa.blogspot.com/.

Martins GO. Tribunal de Contas. Anuário 2006. Lisboa: Edição Tribunal de Contas; 2007. [consultado em 21 de abril de 2023]. p 9-16. Disponível em https://www.tcontas.pt/pt-pt/ TribunalContas/Publicacoes/anuario/Docu- ments/2006/an2006.pdf.

Martins GO. A reforma do Tribunal de Contas em 2006. Revista do Tribunal de Contas. 1996 Jul/Dez; 46:27-62.

Costa P. O Tribunal de Contas e a boa Governança. Contributo para uma reforma do controlo financeiro externo em Portugal. [Tese de doutoramento]. Universidade de Coimbra: Coimbra; 2012. [consultado em 21 de abril de 2023]. Disponível em: https://estudogeral.uc.pt/bitstream/10316/21154/3/O%20Tribunal%20 de%20Contas%20e%20a%20Boa%20Governan%C3%A7a.pdf.

Onoda T. The political consequences of regulatory reforms: drug rationing policies in England and France. [Tese de doutoramento]. London School of Economics and Political Science. Londres; 2018. [citado em 23 de abril de 2023]. Disponível em: http://etheses.lse.ac.uk/3874/1/Onoda__political-consequences-of-regulatory-reforms.pdf.

Fonseca F, Carapeto C. Administração Pública. Modernização, Qualidade e Inovação (3a ed.). Lisboa: Sílabo, 2014.

Gaille M. Le Citoyen. Flammarion: Paris; 1998.

Jornal Público. Moedas promete analisar ideias “óbvias” do segundo Conselho de Cidadãos de Lisboa. Lisboa: 2 de abril de 2023.

Sic Notícias online. Manifestações históricas em Israel: o que motiva os protestos? 27 de Mar2023. [consultado em 21 de abril de 2023]. Disponível em: https:// sicnoticias.pt/mundo/2023-03-27-Manifestacoes-historicas-em-Israel-o-que- -motiva-os-protestos--10b67e93.

Le Monde AFP on-line: 2 de abril de 2023. [consultado em 21 de abril de 2023]. Disponível em: https://www.lemonde.fr/politique/article/2023/04/02/ trottinettes-electriques-les-parisiens-ont-vote-contre-le-maintien-en-libre-servi- ce-dans-la-capitale_6168001_823448.html.

Conseil Économique, Social et Environnemental. Rapport de la Convention Citoyenne sur la fin de vie. Avril 2023. [consultado em 23 abril de 2023]. Disponível em: https://www.lecese.fr/sites/default/files/documents/CCFV/Conven- tioncitoyenne_findevie_Rapportfinal.pdf.

OCDE. Innovative Citizen Participation and New Democratic Institutions: Catching the Deliberative Wave. OECD Publishing: Paris; 2020. [consultado em 21 de abril de 2023]. Disponível em: https://doi.org/10.1787/339306da-en.

Denhardt J, Denhardt R. The New Public Service: serving, not steering, Expanded edition. New York; 2007, p. xi. [consultado em 23abril de 2023]. Disponível em: http://www.untag-smd.ac.id/files/Perpustakaan_Digital_2/PUBLIC%20 ADMINISTRATION%20The%20new%20public%20service%20serving,%20 not%20steering.pdf.

Marklund C. From Promise to Compromise: Nordic Openness in a World of Global Transparency. Em: The Paradox of Openness. Leiden: Brill; 2015. p.237– 261. Disponível em: https://doi.org/10.1163/9789004281196_013.

Comissão Europeia. Comunicação da Comissão Europeia ao Parlamento Europeu, ao Conselho, ao Comité Económico e Social Europeu e ao Conselho das Regiões -Estratégia para o Mercado Único Digital na Europa. 2015. [consultado em 21 de abril de 2023]. Disponível em https://eur-lex.europa.eu/legal-content/ PT/TXT/?uri=celex%3A52015DC0192.

Sampaio J. Com os Portugueses: Dez Anos na Presidência da República. Afrontamento: Lisboa; 2005.

Publicado
2023-07-06
Como Citar
1.
Simões J, Jardim S. O Governo Prisioneiro. ihmt [Internet]. 6Jul.2023 [citado 29Fev.2024];22:69-3. Available from: https://anaisihmt.com/index.php/ihmt/article/view/444
Secção
Artigos Originais