A contribuição de Vital Brazil para a medicina tropical: dos envenenamentos à especificidade da soroterapia

  • Rejâne M. Lira-da-Silva Núcleo de Ofiologia e Animais Peçonhentos da Bahia, Instituto de Biologia, Universidade Federal da Bahia, Salvador, Bahia, Brasil
  • Marta Lourenço Museu de História Natural e da Ciência, Universidade de Lisboa, Lisboa, Portugal
  • Rosany Bochner Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde, Fundação Osvaldo Cruz, Rio de Janeiro, Brasil
  • Érico Vital Brazil Casa de Vital Brazil, Campanha, Minas Gerais, Brasil
  • Tania Kobler Brazil Núcleo de Ofiologia e Animais Peçonhentos da Bahia, Instituto de Biologia, Universidade Federal da Bahia, Salvador, Bahia, Brasil Casa de Vital Brazil, Campanha, Minas Gerais, Brasil
  • Luís Eduardo Ribeiro da Cunha Instituto Vital Brazil, Niterói, Rio de Janeiro, Brasil
  • Antônio Joaquim Werneck de Castro Instituto Vital Brazil, Niterói, Rio de Janeiro, Brasil
Palavras-chave: Vital Brazil, animais peçonhentos, soroterapia

Resumo

Vital Brazil Mineiro da Campanha (1865-1950) é conhecido pela sua descoberta que até hoje salva milhares de vidas: a especificidade dos soros antiofídicos. Este artigo integra-se nas comemorações dos 150 anos de Vital Brazil, com o objetivo de apresentar e discutir suas contribuições para a medicina tropical brasileira e internacional, relativamente ao estudo dos envenenamentos por animais peçonhentos e à descoberta da soroterapia antiofídica específica. Pretende abordar as biografias de Otto Wucherer (1820-1873) e Vital Brazil e o início das pesquisas sobre Ofidismo no Brasil, com similaridades em suas trajetórias, nomeadamente ao estudo do ofidismo e seu tratamento. A discussão da especificidade dos soros travada entre Vital Brazil e Albert Calmette (1863-1933) que se prolongou por vários anos (1902 a 1914), encerrada por Maurice Arthus (1862-1945), com ganho de causa para Vital Brazil, que em janeiro de 1916 pode comprovar sua tese na prática. Uma trajetória a ser rememorada, com a apresentação de notas biográficas do cientista em breve contextualização histórica, durante os 120 anos da descoberta da soroterapia, com a apresentação dos seus princípios, especificidade, evolução dos processos de produção, estado da arte no Brasil e no mundo e novas perspetivas tecnológicas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

1. Vital Brazil E. Antecedentes do Instituto Vital Brazil – Premissas da saúde pública, predicados de um cientista, princípios de uma instituição. In Castro AJW (ed.) (2011). Documentos contam a História do Instituto Vital Brazil. 1919-2010. Editora Rio Books, Rio de Janeiro, Brasil.

2. Vital Brazil L (2014). Vital Brazil – Meu Pai. Editora, Per Se, Belo Horizonte, Brasil.

3. Vital Brazil O (1989). Contribuição para a história da ciência no Brasil. Casa de Vital Brazil, Campanha, Brasil.

4. Brazil V (1901). Contribuição ao estudo do veneno ophidico. Revista Médica de São Paulo IV: 255-380.

5. Sant’Anna OA (2014). Vital Brazil e as origens da Imunologia: a caracterização da especificidade na resposta imune. Cadernos de História da Ciência 10: 161-168.

6. Brazil V (1911). A defesa contra o ofidismo. Pocai & Weiss, São Paulo, Brasil.

7. Coni, AC (1967). Otto Wucherer: sua vida e sua obra. Revista Brasileira de Malariologia Doenças Trop 19(1): 91-118.

8. Lira-da-Silva RM. Otto Wucherer e Vital Brazil o início das pesquisas sobre o ofidismo no País. In Instituto Vital Brazil (ed.) (2011). A Defesa contra o Ophidismo 100 anos depois. Comentários. Instituto Vital Brazil, Rio de Janeiro, Brasil: 49-56.

9. Lira-da-Silva RM (2009). O médico e naturalista luso-germânico Otto Wucherer e sua contribuição para a história natural do Brasil. Gazeta Médica da Bahia 143, 1(Suplemento 1): 3-6.

10. Wucherer OEH (1867a). Sobre a mordedura das cobras venenosas e o seu tratamento. Gazeta Médica da Bahia I(20): 229-231.

11. Wucherer OEH (1867b). Sobre a mordedura das cobras venenosas e o seu tratamento. Gazeta Médica da Bahia I(21): 241-243.

12. Lira-da-Silva RM. Otto Wucherer e Vital Brazil o início das pesquisas sobre o ofidismo no País. In 1st International Meeting Vital para o Brazil about venomous animals [Book of Abstracts] (2013), Niteroi, Brazil: 25-26.

13. Bochner R, Pinheiro LV. O diálogo entre Vital Brazil e Albert Calmette: uma ponte científica entre Brasil e França. In Acte Colloque Scientifique International du Réseau Mussi: Médiations et Hibridations: Constructions Sociale des Savoirs et de L’Informations (2011). Université de Toulouse, Toulouse, França: 281-291.

14. Calmette A (1907). Les Venins, les animaux venimeux et la sérothérapie antivenimeuse. Masson et Cie, Éditeurs, Paris, França.

15. Brazil V (1905). Contribution à l’étude de l’intoxication ophidienne. A. Maloine ed., Paris, França.

16. Bochner R. Correspondência de Albert Calmette a Vital Brazil: evidências de uma relação científica. In Pinheiro LVR, Oliveira, ECP (eds.) (2012). Múltiplas facetas da comunicação e divulgação científicas. Transformações em cinco séculos. Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict), Brasília, Brasil: 50-62.

17. Gomes ACV (2013). Uma ciência moderna e imperial. A fisiologia brasileira no final do século XX (1880-1889). Editora FIOCRUZ, Rio de Janeiro, Brasil.

18. Lacerda JB (1881). O veneno ofídico e os seus antídotos. Rio de Janeiro, Brasil.

19. Barroso S (1881). Mordeduras de cobra e seu tratamento, 1889. Typographia Universal de Laemmert&C, Rio de Janeiro, Brasil.
Publicado
2018-06-24
Secção
Doenças, agentes patogénicos, atores, instituições e visões da medicina tropical