Medicina empírico-metafisica e medicina moderna em África

  • Jean-Paul Bado Director of the Group for Reflection and Action for Health in Africa (GRASA), and Senior Researcher at the University Aix-Marseille (IMAF)
Palavras-chave: Medicina colonial, medicina empírico-metafisica, medicina moderna, história da medicina, África

Resumo

Este artigo olha para o passado para refutar uma visão mecanicista que perpetua as perceções coloniais da medicina nas sociedades africanas. As práticas médicas africanas são anteriores, ao período colonial, existiam durante e após a colonização, e é redutor considerá-las sob o manto da tradição, que ofusca a possibilidade analítica e comparativa. Em vez do conceito inadequado da medicina tradicional, o de "medicina empírico -metafísica " qualifica de forma mais adequada as práticas médicas das sociedades africanas. O que traz então este novo conceito ao conhecimento das práticas médicas no interior do continente? Como resiste a medicina "empírico-metafísica" ao poder da medicina moderna? Que continuidades e ruturas caracterizam a história da medicina em África?

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

1. Bado JP, (1996), Médecine coloniale et grandes endémies en Afrique, Paris, Karthala, France.

2. Beck A, (1981), Medicine, tradition, and development in Kenya and Tanzania 1920-1970, Massachusetts, Crossroad Press, USA.

3. Domergue-Cloarec, D. (1986), La santé en Côte d’Ivoire, Association des publications de l’université Toulouse –le Mirail, 1986, tome 1, France.

4. Thuillier P, (1980), Le petit savant illustré, Paris, Seuil, France.

5. Rosny E de, (1992), L’Afrique des guérisons, Paris, Karthala, France.

6. CicoureI AV, (1985), Raisonnement et diagnostic : le rôle du discours et de la compréhension clinique en médecine, Actes des recherches en sciences sociales, 60, 1985, vol 1, 79-89.

7. Claude Bernard, (1865), Introduction à l’étude de la médecine expérimentale, Paris, JB Baillières et fils, France.

8. Illife J.,(1998), East African doctors a History of Modern profession, Cambridge University Press, UK, 1998.
Publicado
2018-06-24
Secção
Doenças, agentes patogénicos, atores, instituições e visões da medicina tropical