Desenvolvimento de modelos para avaliação das redes de conhecimento: um estudo de avaliabilidade no Centro de Pesquisa René Rachou (Fiocruz Minas), Brasil

  • Eliete Albano de Azevedo Guimarães Universidade Federal de São João Del Rei (UFSJ), São João Del Rei, Minas Gerais, Brasil. Centro de Pesquisa René Rachou, Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz Minas), Belo Horizonte, Brasil.
  • Zulmira Hartz Professora catedrática convidada de Avaliação em Saúde; Global Health and Tropical Medicine, GHTM, Instituto de Higiene e Medicina Tropical, IHMT, Universidade Nova de Lisboa, UNL, Lisboa, Portugal.
  • Zélia Maria Profeta da Luz Centro de Pesquisa René Rachou, Fundação Oswaldo Cruz (CPqRR/Fiocruz), Belo Horizonte, Brasil
Palavras-chave: Pesquisa, centro de pesquisa, avaliação de programas e projetos de saúde, estudo de avaliabilidade

Resumo

Realizou-se um estudo de avaliabilidade (EA) de uma rede de colaboração em pesquisa da Fiocruz Minas, considerando a descrição da intervenção, o desenvolvimento dos modelos teórico e lógico da avaliação e a identificação das perguntas avaliativas. Para executar essa etapa da avaliação foram utilizados os sete elementos, propostos por Thurston e Ramaliu (2005). Foram elaborados os modelos teórico e lógico e as matrizes de medidas e análise, pautados na revisão de documentos, na observação e nas entrevistas. Os informantes-chave proveram informações, documentos e arquivos eletrónicos, além de participar em reuniões e encontros de trabalho. O modelo lógico permitiu visualizar graficamente a constituição dos componentes da rede e da sua forma de operacionalização até aos resultados esperados a curto e longo prazo. Foram estabelecidas as perguntas avaliativas, os critérios e parâmetros, os instrumentos de pesquisa e os procedimentos para sistematização e análise da implantação da rede. O EA constatou a possibilidade de avaliações posteriores do programa e apresentou cenário favorável para o seu desenvolvimento. Esta é uma importante estratégia avaliativa que permite que as avaliações subsequentes sejam desenvolvidas com maior facilidade, maximizando seus potenciais, além de favorecer a racionalização de recursos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

1. Cressman D, Holbrook JA, Lewis BS, Wixted B. Capturing the outcomes and
impacts of publicly funded research: a fremework for evaluation formal research
networks. 2009. Vancouver 6(5): 1-38.
2. International Development Research Centre. IDRC and Research Networks:
Allies for Development. IDRC, Ottawa, ON, CA. Evaluation highlight, 2006; 11:1-
6.
3. Trentini M; Vieira da Silva DMG. Grupos de pesquisa em enfermagem: a transferibilidade
do conhecimento para a prática. Texto Contexto Enferm, Florianópolis,
2012. 21(4):723-4.
4. Ke Q, Ahn YY. Tie strength distribution in scientific collaboration networks.
Phys Rev E Stat Nonlin Soft Matter Phys. 2014, 90(3):401-502. [citado 2016 abril
20]; Disponível em: http://arxiv.org/pdf/1401.5027v3.pdf
5. World Health Organization. World Key enabling factors in effective and sustainable
research networks: findings from a qualitative research study. Geneva,
2016. [citado 2016 julho 09]; Disponível em: http://apps.who.int/iris/handle/
10665/205283
6. Centro de Pesquisas René Rachou. Fundação Oswaldo Cruz. Regimento dos
Programas Estruturantes do Centro de Pesquisas René Rachou/Fiocruz Minas. Minas
Gerais, Brasil, 2012.
7. Centro de Pesquisas René Rachou. Fundação Oswaldo Cruz. Plano Estratégico
Instituto René Rachou 2011-2014. Relatório da Oficina de Planeamento. Minas
Gerais, Brasil; 2011.
8. Leite D, Caregnato CE, Lima EGS, Pinho I, Miorando BS, Silveira PB. Avaliação
de Redes de Pesquisa e Colaboração. Avaliação (Campinas; Sorocaba), 2014.
19(1):291-312.
9. Thurston W, Ramaliu A. Evaluability assessment of a survivors of torture program:
lessons learned. Canadian Journal of Program Evaluation. 2005;20(2):1-
25.
10. Natal S, Samico I, Oliveira LGD, Assis AMJ. Estudo de avaliabilidade da rede de
formação de recursos humanos da Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério
da Saúde. Cad Saúde Colet. 2010:18(4): 560-71.
11. Wholey, J. S. Evaluability assessment. In: Rutman, L. (Ed.). Evaluation research
methods: A base guide. Beverly Hills CA: Sage, 1977. p. 41-56.
12. Padilha MA, Oliveira, CM; Figueiró AC. Estudo de avaliabilidade do Programa
Academia Carioca da Saúde: desafios para a promoção da saúde. Saúde debate.
2015:39(105): 375-386.
13. Pereira CN, Luiza VL, Cruz MM. Serviços farmacêuticos na atenção primária
no município do Rio de Janeiro: um estudo de avaliabilidade. Saúde debate. 2015:
39(105): 451-468.
14. Thurston W, Potvin L. Evaluability assessment: a tool for incorporating evaluation
in social change programmes. Evaluation, Londres. 2003: 9(4): 453-469.
15. Trevisan MS, Walser TM. Evaluability assessment: Improving evaluation quality
and use. CA: Sag.,Thousand Oaks; 2014.
16. Yin, RK. Estudo de caso: planeamento e métodos. 4ed. Porto Alegre: Bookman;
2010.
17. Hartz ZMA, Contandriopoulos AP. Do quê ao pra quê da meta-avaliação em
saúde. In: Hartz ZMA, Felisberto E, Vieira-da-silva LM (Orgs.). Meta-avaliação da
Atenção básica à Saúde. Teoria e prática. Fiocruz, Rio de Janeiro, Brasil.
18. Bardin, L. Análise de Conteúdo. 4 ed. Lisboa: Edições. 2008:70; 2010.
19. Centro de Pesquisas René Rachou. Fundação Oswaldo Cruz. Regimento da
Rede Fiocruz Minas para Identificação, Produção e Avaliação de Antígenos de Patógenos
causadores de Doenças Infecto- Parasitárias - RIPAg. Minas Gerais, 2012.
20. Centro de Pesquisas René Rachou. Fundação Oswaldo Cruz. Chamada de Pesquisa
Programas Estruturantes do Centro de Pesquisas René Rachou - CPqRR -
PROEP/Programa Estruturante. Minas Gerais, 2012.
21. Wixted B, Holbrook, JA. Conceptual Issues in the Evaluation of Formal Research
Networks, CPROST Report, 2009. [citado 2016 abril 20]; Disponível em:
http://blogs.sfu.ca/departments/cprost/wp-content/uploads/2012/10/1103.
pdf
22. Champagne F, Brousselle A, Hartz Z, Contandriopoulos AP. Modelizar as Intervenções.
In: Brousselle A, Champagne F, Contandriopoulos AP, Hartz ZMA,
organizadores. Avaliação em saúde: conceitos e métodos. Rio de Janeiro: Fiocruz;
2011.
23. Worthen BR, Sanders JR, Fitzpatrick JL. Avaliação de programas: concepções
e práticas. Editora Gente, São Paulo, Brasil; 2004.
24. Vieira-da-Silva LM. Avaliação de políticas e programas de saúde. Fiocruz, Rio
de Janeiro, Brasil; 2014.
25. Minayo MCS, Assis SG, Souza ER, organizadores. Avaliação por triangulação
de métodos: abordagem de programas sociais. Rio de Janeiro: Fiocruz; 2005.
26. Bezerra LCA, Cazarin G, Alves CKA. Modelagem de Programas: da Teoria à
Operacionalização. In: Samico I, Felisberto E, Figueiró AC, Frias PG. Avaliação em
saúde: bases conceituais e operacionais. Rio de Janeiro: MedBook; 2010:65-78.
27. The national implementattion Research Network (Canadá). Implementation
Research: a synthesis of the literature. 2005. [citado 2016 abril 20]; Disponível em:
htpp://nirn.fmhi.usf.edu/resources/publications/monograph
28. Bozeman B, Fay D, Slade CP. Research collaboration in universities and academic
entrepreneurship: the-state-of-the-art. 2013. [citado 2016 julho 13]; Disponível
em:
http://cord.asu.edu/wp-content/uploads/2015/02/Research-collaboration-in-
-universities-and-academic-entrepreneurship.pdf
Publicado
2018-08-28
Secção
Gestão, meta-avaliação e redes de conhecimento