O PECS: instrumento estruturante da reflexão e da cooperação em saúde entre os Estados membros da CPLP

  • Paulo Ferrinho Diretor do Instituto de Higiene e Medicina Tropical
  • Zulmira Hartz Vice-Diretora do Instituto de Higiene e Medicina Tropical

Resumo

.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

1. Almeida CM, Campos RP, Buss P, Ferreira JR, Fonseca LE (2010). A concepção brasileira de “cooperação Sul-Sul estruturante” em saúde. RECIIS; 4 (1): 25–35.

2. Barros FPC (2014). Cobertura universal ou sistemas públicos universais de saúde?
Anais do Instituto de Higiene e Medicina Tropical; 13: 87-90.

3. Barros FPC e Lapão LV (2016). A efetivação do direito universal à saúde: os casos de Portugal, Brasil e Cabo Verde). Anais do Instituto de Higiene e Medicina Tropical 2016; 15 (Supl. 1): S89-S100.

4. Buss PM, Ferreira J (2010 a). Ensaio crítico sobre a cooperação internacional em saúde. RECIIS; 4 (1): 93-105.

5. Buss PM, Ferreira JR (2010 b). Diplomacia da saúde e cooperação Sul-Sul: as experiências da Unasul Saúde e do Plano Estratégico de Cooperação em Saúde da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP). RECIIS; 4 (1): 106-118.

6. Contandriopoulos A-P (2010). Conclusão. In Contandriopoulos, A-P, Hartz, ZMA, Gerbier, M et Nguyen, A. (org) Saúde e Cidadania. São Paulo Editora Saberes: 461-470

7. Craveiro I et al. (2016). Meta-avaliação do I Plano Estratégico de Cooperação em Saúde da CPLP (PECS I/CPLP, 2009-2012) com visão perspetiva sobre o II Plano Estratégico de Cooperação em Saúde da CPLP (PECS II/CPLP 2014-2016). Anais do Instituto de Higiene e Medicina Tropical 2016; 15 (Supl. 1): S75-S80.

8. Ferreira JR, Fonseca LE (2010). Institucionalização da cooperação centrada no cidadão. In Contandriopoulos, A-P, Hartz, ZMA, Gerbier, M et Nguyen, A. (org) Saúde e Cidadania. São Paulo Editora Saberes: 399-421.

9. Ferrinho P (2013). Mensagem de Abertura do 2º Congresso Nacional de Medicina Tropical. Anais do Instituto de Higiene e Medicina Tropical; 12: 4-5.

10. Ferrinho P, Dias S, Hartz S (2012). O Ensino em Saúde Pública no Instituto de Higiene e Medicina Tropical, 1902-2012. Anais do Instituto de Higiene e Medicina Tropical; 11; 186-193.

11. Ferrinho P, Hartz (2015). Reinventando os Anais do IHMT. Anais do Instituto de Higiene e Medicina Tropical; 14: 5-6.

12. Fresta MJ et al (2016). Estabelecimento de uma rede da cooperação em educação médica, no âmbito do PECS-CPLP. Anais do Instituto de Higiene e Medicina Tropical 2016; 15 (Supl. 1): S27-S34.

13. Guerreiro CS (2015). Evacuação de doentes dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa para Portugal – estudo de avaliabilidade. Anais do Instituto de Higiene e Medicina Tropical; 14: 101-108.

14. Hartz Z et al (2016). Estratégia interinstitucional (IHMT/Fiocruz) para fortalecimento da capacidade avaliativa nos países da CPLP: foco nos estudos de implementação para avaliação do Plano Estratégico de Cooperação em Saúde (PECS). Anais do Instituto de Higiene e Medicina Tropical 2016; 15 (Supl. 1): S81-S87.

15. Horton R (2007). Health as an instrument of foreign policy. The Lancet; 369 (9564): 806-807.

16. Kritski A et al (2016). Rede Brasileira de Pesquisa em Tuberculose - REDE TB. Anais do Instituto de Higiene e Medicina Tropical 2016; 15 (Supl. 1): S35-S44.

17. Lapão LV, Messina LA et al (2016). Roteiro estratégico para a telessaúde na CPLP: diagnóstico e prioridades para o desenvolvimento da telessaúde. Anais do Instituto de Higiene e Medicina Tropical 2016; 15 (Supl. 1): S65-S73.

18. Lapão MC (2016). O poder funcional da CPLP no quadro da saúde. Anais do Instituto de Higiene e Medicina Tropical 2016; 15 (Supl. 1): S7-S10.

19. Leal T, Cruz D, Ferrinho P (2016). Cooperação em saúde: passado e presente. Anais do Instituto de Higiene e Medicina Tropical 2016; 15 (Supl. 1): S11-S17

20. Rosenberg FJ et al (2016). Cooperação estruturante em saúde e o papel das redes na CPLP. Anais do Instituto de Higiene e Medicina Tropical 2016; 15 (Supl. 1): S19-S26.

21. Russo G, Cabral L, Ferrinho P (2013). Brazil-Africa technical cooperation in health: what’s its relevance to the post-Busan debate on ‘aid effectiveness’? Global Health; 9:2. doi: 10.1186/1744-8603-9-2.

22. Santana JPD, Garrafa V (2013). Cooperação em saúde na perspetiva bioética. Ciência & Saúde Coletiva; 18 (1): 129-137, 2013.

23. Simões J, Carneiro C (2012). Os desafios da regulação. Anais do Instituto de Higiene e Medicina Tropical; 11; 162-171.

24. Simões J, Carneiro C (2014). Investigação avaliativa na regulação da saúde. Anais do Instituto de Higiene e Medicina Tropical; 13: 81-86.

25. Simões J (2016). A regulação do Sistema de Saúde. Anais do Instituto de Higiene e Medicina Tropical 2016; 15 (Supl. 1): S57-S63.

26. Stauffer ADB, Noronha ABD, Ruela HCG (2014). Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio/Fiocruz: 10 anos como Centro Colaborador da OMS para a Educação de Técnicos em Saúde. Rio de Janeiro: EPSJV.

27. Viveiros M e Simões MJ (2016). Pequena história da RIDES -Tuberculose no âmbito do Plano Estratégico de Cooperação em Saúde 2009-2012 da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa. Anais do Instituto de Higiene e Medicina Tropical 2016; 15 (Supl. 1): S45-S50.

28. Yach, D; Bettcher, D (1998). The globalization of public health, the convergence of self-interest and altruism. American Journal of Public Health; 88-5: 738-741.
Publicado
2018-08-27

Artigos mais lidos pelo mesmo (s) autor (es)

1 2 > >>